Aldeia dos Pequeninos

pesquisar

 
Daisypath Anniversary tickers
Terça-feira, 13 / 09 / 11

Objectivos e competências desenvolvidas através da psicomotricidade

 

A Psicomotricidade pode ser encarada como um instrumento educativo que propicia o conhecimento da criança e uma acção adaptada e eficaz sobre o contexto, assim como a promoção do desenvolvimento das competências necessárias a um futuro desempenho académico de sucesso.

Podemos apontar os seguintes objectivos de uma abordagem deste tipo:

  • Tomada de consciência do esquema corporal.
  • Desenvolver a lateralidade e o equilíbrio.
  • Desenvolver o sentido de orientação.
  • Promover a capacidade de atenção.
  • Promover a capacidade de reflexão pessoal.
  • Desenvolver o sentido rítmico e da estruturação espaço-temporal.
  • Desenvolver a criatividade.
  • Desenvolver a capacidade de comunicação e interacção com os outros.

 Desta forma, podem ser desenvolvidas várias competências, tais como:

  • Coordenação motora global e coordenação visuomotora ajustadas.
  • Motricidade global eficiente e harmoniosa.
  • Grafismos e caligrafia regulares, respeitando o espaço definido na folha ou nas linhas.
  • Reconhecimento da ordem numa tabela e a ordem num sistema de referências (por exemplo, um gráfico).
  • Organização sequencial de tarefas domésticas ou escolares, com um ritmo de realização das mesmas ajustado.
  • Orientação em trajectos com ou sem suporte de uma planta e, posteriormente, um mapa.
  • Reconhecimento da ordem das letras numa palavra, a ordem de palavras numa frase e a ordem de frases num texto.
  • Manutenção da atenção em diferentes tipos de tarefas.
  • Reconhecimento e reprodução de modelos.
  • Resolução de problemas, reconhecendo, decidindo, analisando e formulando soluções.
  • Respeito e cumprimento de regras num grupo.
  • Auto conceito e auto-estima consistentes.

In: Coisas de Criança

sinto-me:
publicado por olharovazio às 22:32
Domingo, 04 / 09 / 11

Jardim de Infância: os primeiros dias

 

Os primeiros dias no jardim de infância são com frequência sinónimo de angústia, quer para a criança quer para os pais. Com efeito, uma criança aos 3 anos é egocêntrica por natureza e irá ter dificuldade em dividir a atenção do educador com as outras crianças. Por outro lado, é-lhe difícil entender a razão de estar naquela sala, podendo achar que os pais estão a abandoná-la. Por seu lado, os pais questionam-se se não teria sido melhor opção a criança ter ido em bebé para a creche, face à intensidade com que ela demonstra o seu desagrado (através do choro, birra, sintomas físicos de mal-estar como vómitos ou dores de barriga).

A grande vantagem em relação aos bebés é que, aos 3 anos, a criança já possuí um bom desenvolvimento da linguagem o que lhe permite manifestar verbalmente o seu mal-estar e compreender melhor o que se passa. Mesmo para aquelas que já frequentavam o jardim de infância ou a creche, o regresso após um período de férias é frequentemente sentido como negativo. Para facilitar este processo, poderão ser tidas em conta algumas estratégias:

  • Nos dias que antecedem o início do novo ano escolar é aconselhável que os pais mostrem a nova escola ao filho. Comecem por passar pela rua e depois visitem os novos espaços com o vosso filho para poderem conversar acerca do que lá existe. Falem com carinho no educador e nos auxiliares de educação que irão estar com ele.
  • Procurem marcar uma reunião individual com o educador responsável da sala, transmitindo toda a informação que possa ajudar a uma melhor integração. Falem de todas as alterações no ambiente familiar que poderão influenciar o comportamento da criança (morte de um familiar, divórcio dos pais, nascimento de um irmão,etc).
  • Se possível façam uma integração progressiva: nos primeiros dias o ideal será a criança só ficar algum tempo e, à medida que se for sentindo mais confiante, ficar para almoçar, dormir a sesta e por fim lanchar.
  • Deixem a criança levar a chucha, a fralda, o boneco especial ou um brinquedo que ela goste, de forma a funcionar como objecto transitivo securizante.
  • Organizem uma rotina tranquila e não revelem ansiedade. Se puderem fiquem algum tempo na sala a brincar com o vosso filho e nunca saiam sem se despedirem, mesmo que ele fique a chorar. Não cedam a pressões para ficar em casa "só hoje".
  • Falem com a criança sobre a forma como decorreu o dia. Há muitas que não gostam de contar o seu dia e, nesse caso devem respeitar o seu silêncio. Uma estratégia que poderá facilitar a comunicação é organizar um momento em que cada um (pai, mãe e filhos) contam alguma coisa boa e outra menos boa do se dia. Ajudem-no a enfrentar as situações difíceis, pensando em conjunto em soluções.
  • Sempre que o vosso filho vos contar ou mesmo se presenciarem alguma situação menos adequada, nunca deixem de falar com o educador sobre o que se passou. Só pelo diálogo se resolvem os problemas e é possível estabelecer uma relação de confiança.

In: Coisas de Criança

sinto-me:
publicado por olharovazio às 15:26
"A educação tem raízes amargas, mas os frutos são doces." ( Aristóteles )

mais sobre mim

Visitinhas...

Estão aqui:

online counter

Translator

Locations of Site Visitors

Setembro 2011

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
O que acham do blogue?
Excelente
Muito Bom
Bom
Razoavel
Fraco/Com pouco conteudo
Muito Fraco
  
pollcode.com free polls
Que tema esta mais interessante?
  
pollcode.com free polls 

Sigam o blogue:

ideias partilhadas

  • Olá queria saber se estão instaldos em Sao Miguel,...
  • isso eh logico
  • Bom dia,O meu nome é Sofia Carvalho e sou gestora ...
  • Bom dia!Recebi sua visita a um dos meus blogs: Sin...
  • Ainda bem que gostaste :)beijoss
  • Olá,Passei para conhecer o espaço, após o comentár...
  • muito obrigado pelo comentario :DBom blog , beijin...
  • Ahaha sim foi um episodio daqueles, com direito a ...